sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Decifra-me

Ana

Decifra-me
 
Eduardo Baqueiro

 
Não me pergunte se te amo
Jamais te direi com palavras
Meus sentimentos por ti
Sou sinônimo de mistério
 
Não terás as respostas pelos
meus lábios
Tampouco te direi como obtê-las
Terás que descobrir...
 
Talvez através do brilho dos meus
olhos quando olhas para mim
Talvez pelo tom de minha voz
quando te falo do meu amor
 
Ou talvez, quem sabe, pela maneira
que te toco, quando estamos a sós
Descubra você mesmo,
Mas não me perguntes
 
Não te direi com palavras
Saberás,
se souberes procurar...
Se realmente me amas como dizes,
acharás as respostas...
 
Elas estão fragmentadas em mim
Aos poucos,
montarás um quebra cabeça
E, se no final,
souberes interpretar a charada,
saberás o que sinto por ti
 
Mas não demores muito
tentando me entender.
Não conseguirás, eu sei!
Somente... decifra-me se puderes
 
Enquanto isto, me ame,
como jamais amou
Abra seu coração para mim
E deixa-me ser dona de teu amor
 
Se te sentires feliz,
talvez descubras o quanto te amo
 

Quem não te procura, não sente sua falta.



Recadoseglitters.com

"Quem não te procura, não sente sua falta. 
Quem não sente sua falta, não te ama. 

O destino determina quem entra na sua vida, 
mas você decide quem fica nela. 

A verdade dói só uma vez. 
A mentira dói cada vez que voce lembra.

Há três coisas na vida que nunca mais voltam: 
as palavras, o tempo, e as oportunidades.

 Então, valorize quem valoriza você 
e não trate como prioridade a quem te trata como opção."

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

FELIZ 2012

No calor de uma amizade

Vai meu beijo e meu abraço
Tudo bem embrulhadinho,
Atado num grande laço.
Desembrulha com cuidado,
Não deixe a caixa caír…
Segura logo o abraço,
Não deixa o beijo fugir.

FELIZ 2012


Qual a origem daqueles três macacos que um não vê, o outro não escuta e o terceiro não fala?



Não vejo, não ouço, não falo - Recados e Imagens para orkut, facebook, tumblr e hi5


Os macaquinhos, conhecidos como 'Três Macacos Sábios', ilustram a porta do Estábulo Sagrado, um templo do século 17 localizado na cidade de Nikko, no Japão. Sua origem é baseada em um trocadilho japonês. Seus nomes são 'mizaru' (o que cobre os olhos), 'kikazaru' (o que tapa os ouvidos) e 'iwazaru' (o que tampa a boca), que na língua é traduzido como 'não ouça o mal', 'não fale o mal' e 'não veja o mal'. A palavra 'saru', em japonês, significa 'macaco' e tem o mesmo som da terminação verbal 'zaru'. 
O folclore japonês diz que a imagem dos macacos foi trazida por um monge budista chinês, no século 8. Apesar disso, não há comprovação dessa suposição.

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

natal


Amor...
o mais puro dos sentimentos,
a mais bela das palavras,
a mais forte das emoções...

...E parece que nesta época do ano,
o mundo fica mais colorido, mais cheio de vida,
talvez seja a presença dos anjos,
que com o ruído doce do bater de suas asas
espalhem luz e cor, onde quer que estejam

PAZ, SAÚDE, AMOR, SORTE, PROSPERIDADE, SUCESSO, 

e que os Anjos estejam sempre abençoando nossas vidas

FELIZ NATAL !!!

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Mensagem Natalina...







ALIANÇA

   Todo casal que está noivo e vai se casar tem uma aliança no dedo. Muitos nem sabem o porquê, mas usam e pronto, mesmo assim o significado destes anéis vai muito além de uma tradição .

A palavra aliança significa simplesmente um acordo entre duas partes, que podem ser indivíduos, grupos ou nações. No caso do casamento, é um acordo selado entre duas pessoas que se amam e utilizam esse par de anéis para simbolizar essa união. Essa tradição é muito antiga e tem origem em várias culturas com o mesmo propósito, a união e o amor entre duas pessoas. Alguns estudos dizem que os egípcios foram os primeiros a adotarem o uso de alianças de casamento e a colocarem no terceiro dedo da mão esquerda.

  A simbologia da aliança é muito forte, unindo-as lado a lado formam o símbolo do infinito (por esse motivo não se deve usar alianças quadradas). O material é o ouro, prata ou platina por serem duradouros, eternos como a relação de duas pessoas que se amam.

  Outra simbologia é o posicionamento do uso, dizem que esse anel deve ser usado no quarto dedo da mão esquerda, pois nesse dedo passa uma veia que vai direto para o coração.

Uma jóia que será usada diariamente por toda vida 



quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

SONHOS DE LEITE CONDENSADO



Ingredientes:

4 dl de leite

1 casca de limão

250 gr de manteiga

600 gr de farinha

7 ovos

óleo q.b.

1 lata de Leite Condensado Nestlé

Preparação:

Misturar o leite condensado com o leite, a casca de limão e a manteiga. Levar ao lume até ferver.

Acrescentar a farinha de uma só vez e mexer bem, até que a massa se solte do recipiente. Retirar do calor e deixar arrefecer.

Incorporar os ovos, um a um, batendo muito bem entre cada adição. Eliminar a casca de limão e fritar a massa às colheradas em óleo bem quente. Escorra sobre papel absorvente.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Um Anjo Chora


As flores já não chegam

o poema se acabo,
O que um dia foi amor na amargura terminou.
Ela quer regressar
ao tempo que passo,para poder reviver
os prazer de ontem.
Já não pode ver as coisas iguais
por que no mar do esquecimento tudo  ficou,
e o oceano ja perdeu sua cor azul
As estrelas olham, A lua a abraça
E um anjo chora.
Passaram  os anos e ele se esqueceu
do amor que prometeu,
quando a conheceu
Entra no quarto, e na cama ele a viu
toca seu corpo frio a tristeza a matou.
As flores já chegaram
o poema começou,
sobre uma tumba fria ele chora sua dor,
ele  quer regressar
ao tempo que passou
para poder se perder assim
na beleza de sua voz.
Já nao pode ver as coisas igual,
por que no mar do esquecimento tudo ja ficou
e o ocecano ja perdeu sua cor azul
As estrelas olham, A lua a abraça
E um anjo chora.

domingo, 27 de novembro de 2011



Se achares que o amor enlouquece,
Não compreendes a força que ele tem
Então tão logo se envaidece
E esquece como é amar alguém
Amar,Fogo que não desaparece,
Vida que resplandece,Sentimento frágil e eterno,Sincero e marcante
Que só aquele que ama tem
Olhares que dizem tudo
Corações que esperam toda vida por um segundo
Aquele beijo que cala o mundo
Apaga as incertas,
Matem viva chama da eterna pureza
Digo-lhe, é amor eu sei!
Pois verdadeiro é o amor que nunca morre
Metade que nunca se afastaSaudade,
Que faz de nós uma só parte.

dos Santos

AZEVIAS DE GRÃO


DOCES DE NATAL

Ingredientes:

Recheio:

200g de grão
1 pitada de sal
6 gemas
1 colher de sobremesa de canela
Raspa de ½ limão
60 gr de amêndoa moída
Calda:
1/2 dl de água
125 gr de açúcar
Massa:
250 gr de farinha
2 ovos
1 colher de sopa de manteiga
1 colher de sopa de banha
Água morna e sal q.b.
Óleo para fritar
Açúcar e canela para polvilhar

Preparação:

Recheio: Coza o grão em água temperada com uma pitada

de sal. Escorra e passe pelo passe-vite e reserve.
Calda: Leve ao lume o açúcar com a água, até atingir o ponto de fio. Separe as claras, bata as gemas e verta-lhes a calda em cima, em fio, sem parar de mexer. À calda, acrescente a canela e a raspa de limão, mexa e junte o puré de grão e a amêndoa. Leve a mistura a lume brando, mexendo até engrossar. Retire e deixe arrefecer.

Massa: Misture a farinha e os ovos inteiros à manteiga e à banha. Enquanto amassa acrescente água morna, até obter uma massa boa para tender. Estenda a massa sob uma superfície enfarinhada até que fique com uma espessura fina. Disponha montinhos de recheio frio (cerca de uma colher de sobremesa) e dobre a massa por cima (tipo rissol). Com uma serrilha ou boca de um copo, corte a massa como se fossem rissóis. Frite as azevias em óleo bem quente, de ambos os lados. Escorra sobre uma rede e ainda quentes passe-as por açúcar e canela, dispondo-as numa travessa de serviço

FILHÓS DA BEIRA BAIXA


DOCES DE NATAL

INGREDIENTES:

20g de fermento de padeiro

1dl de leite

750grs de farinha de trigo

1 colher de chá de sal

8 ovos

1dl de azeite

1dl de aguardente bagaceira

azeite para fritar

300g de mel

1dl de água

açucar q.b

canela para polvilhar



Confecção :

Dissolve-se o fermento no leite morno e junta-se-lhe um pouco de farinha e o sal.
Mistura-se de modo a obter uma massa branda.
Deixa-se repousar durante 15 minutos.
Deita-se a massa num alguidar, adiciona-se um pouco de azeite e três ovos batidos.
Mistura-se tudo bem, batendo com a mão aberta.
Depois, juntam-se o restante azeite, a aguardente e os ovos que restam, amassando, ou melhor, batendo a massa.
Esta deve ficar mais branda do que para o pão.
Sendo necessário, adiciona-se um pouco de leite.
Abafa-se a massa e deixa-se levedar durante 4 horas em local temperado.
Depois, põe-se o azeite no lume e com as molhadas em azeite tiram-se bocados de massa do tamanho aproximado de um ovo, estica-se a massa numa rodela o mais fina possível, fazendo-lhe buracos com as pontas dos dedos.
Introduz-se os filhós no azeite e, com um garfo comprido, força-se a manter a forma para os lados, esticando-a, pois a sua tendência será de crescer para cima.
Depois de loura dos dois lados, põe-se a escorrer sobre papel absorvente.
Isto deve ser feito com muita cautela, pois as filhós apresentam-se finas e esburacadas.
Frita toda a massa, deita-se o mel com a água num tacho e deixa-se levantar fervura.
Reduz-se o calor e, com ajuda de 2 garfos compridos, passam-se as filhós pela a calda, ao mesmo tempo que se vão introduzindo em travessas ou panelas e polvilhando com açúcar e canela.
Pode omitir-se a calda.
Ao contrário do que acontece habitualmente com os fritos, estas filhós ficam mais tenras à medida que os dias passam.

Nota
Esta massa pode levar abóbora.
Isto acontece na Beira Baixa muito frequentemente.
Neste caso, deve reduzir-se o número de ovos.

sábado, 26 de novembro de 2011

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

"Enquanto você dorme eu aprisionei

o vento,silenciei os sons da noite

E calei os seresteiros

Pra que o silêncio embalasse o teu sono:

Esse é meu lado Anjo da guarda

Enquanto você

dorme.

encomendei um amanhecer perfeito,pedi

o sol para despertar depois de você

e iluminar os teus caminhos..."


quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Vida
É o amor existencial.
Razão
É o amor que pondera.
Estudo
É o amor que analisa.
Ciência
É o amor que investiga.
Filosofia
É o amor que pensa.
Religião
É o amor que busca a Deus.
Verdade
É o amor que eterniza.
Ideal
É o amor que se eleva.
É o amor que transcende.
Esperança
É o amor que sonha.
Caridade
É o amor que auxilia.
Fraternidade
É o amor que se expande.
Sacrifício
É o amor que se esforça.
Renúncia
É o amor que depura.
Simpatia
É o amor que sorri.
Trabalho
É o amor que constrói.
Indiferença
É o amor que se esconde.
Desespero
É o amor que se desgoverna.
Paixão
É o amor que se desequilibra.
Ciúme
É o amor que se desvaira.
Orgulho
É o amor que enlouquece.
Sensualismo
É o amor que se envenena.
Finalmente, o ódio, que julgas ser a antítese do amor, não é senão o próprio amor que adoeceu gravemente.

Francisco Cândido Xavier

terça-feira, 15 de novembro de 2011

"O sorriso é a manifestação dos lábios, quando os olhos encontram o que o coração procura."




segunda-feira, 14 de novembro de 2011

" Raizes de um povo "

Estava vendo uns videos e deparei-me com este, adorei...

sábado, 10 de setembro de 2011

Poema Loucura de Isaura Matias de Andrade, in "Sinfonia da Terra", 1943

Que importa que venhas, que passes agora?
Não quero saber…
E os olhos procuram, há mais de uma hora,
o bem de te ver!...

Os olhos tão tristes, famintos, coitados!...
– Porque é que não vens?
Também que interessa? Dos dias passados,
lembranças não tens!...

– Nem eu, estou certa. Se é só fantasia
que tudo isto encerra…
Jurei: Hás de ver-me mais dura e mais fria
que as pedras da serra:

Desprezo, verás, teu olhar perturbante.
Deixo de ser eu,
se em tua presença não for mais distante
que a estrela do Céu!...

Ver-te! Para quê? Se saudades não tenho,
nem vens por aqui.
Mas lá porque eu venho, e não sei porque venho,
não fora por ti.

Lembrar que me lembras, meu Deus, que pavor!
– Mas isso que tem?
Não tenho, não tens, se não temos amor,
está muito bem:

Não se perde nada, nem, dor, és cabida;
mentiras não contam.
Verdades são luzes e as luzes dão vida
assim que despontam.

O mundo prossegue na vida galharda;
o Sol está certo.
Há música, há risos, há homens em barda,
e eu… vejo um deserto!

Pensar que te esqueço tornou-se mania,
pareço uma louca!
Se trago, coitada, de noite e de dia
teu nome na boca!...

terça-feira, 14 de junho de 2011

quinta-feira, 19 de maio de 2011


Não me prendo a nada que me defina.
Sou companhia, mas posso ser solidão.
Tranquilidade e inconstância.
Pedra e coração.
Sou abraços, sorrisos, ânimo, bom humor,
sarcasmo, preguiça e sono!
Música alta e silêncio.
Serei o que você quiser,
mas só quando eu quiser.
Não me limito, não sou cruel comigo!
Serei sempre apego pelo que vale a pena
e desapego pelo que não quer valer…

“Suponho que me entender não é uma questão de inteligência e sim de sentir, de entrar em contato... Ou toca, ou não toca."

terça-feira, 10 de maio de 2011

je t'aime

Je t'aime
Oh oui je t'aime
Oh mon amour..




terça-feira, 3 de maio de 2011

LOVE OF MY LIVE...



Love of my life, you've hurt me
You've broken my heart, now you leave me.
Love of my life can't you see,

Bring it back bring it back,
Don't take it away from me,
Because you don't know
What it means to me.

Love of my life don't leave me,
You've taken my love, you now desert me,
Love of my life can't you see,

Bring it back bring it back,
Don't take it away from me,
Because you don't know
What it means to me.

You will remember
When this is blown over,
And everythings all by the way,
When I grow older,
I will be there at your side,
To remind you how I still love you
I still love you.

Bring it back bring it back
Don't take it away from me,
Because you don't know
What it means to me
Love of my life
Love of my life
Yeah

segunda-feira, 4 de abril de 2011

quarta-feira, 30 de março de 2011

Folhas perdidas


Surge um grande momento em toda a nossa essistência
A árvore chora suas folhas, quase todas caídas,
Sente que cai um pedaço de toda sua experiência,
A árvore pensa que está sendo sempre traída,
Mas no mundo ainda prevalece a lei da sobrevivência,
Fica o mais forte, restam apenas folhas perdidas...
Se a árvore não soubesse que o mundo dá voltas,
Tudo aquilo que há na vida deve ao início retornar,
As folhas que caem são da sua música as notas,
Não adianta querer viver somente para cantar,
Se todos conservassem no coração suas revoltas,
Quando nós conseguiríamos nos reencontrar?...
Só assim conseguimos entender o sentido da vida,
No momento em que mais precisamos de alguém,
Quando no caminho pessoa alguma nos auxilia na lida,
Vamos em frente, mas junto conosco ninguém vem,
Seria nos nossos sonhos nossa pequena asa partida,
Sabemos que há muitos males que vêm para bem...
Todos no decorrer do tempo somos folhas na verdade,
Sentindo tudo o que há de triste nas nossas vidas,
Verdes, deveríamos procurar aos poucos a felicidade,
Deixar pra trás nossas mágoas, nossas feridas,
Amadurecemos no caminho de volta à realidade,
Quando amarelas, somos apenas folhas perdidas...
E se ainda houver tempo dentro da nossa geração
Vamos continuar o nosso caminho, sempre vivendo,
Pois as folhas às raízes e ao duro chão retornarão,
Se houvesse tanto ou pouco tempo aprendendo,
Se não houvesse um pouco de sofrimento no coração,
Seríamos folhas, simplesmente perdidas, morrendo...
O eu amigo ou o amigo eu
Eu sou aquilo que não gostaria que vissem,
Descobrem-me sem olhar-me nos meus olhos,
Sou a água, o vinho, antes que partissem,
Sou de você todos, todos os seus sonhos...
Sou dos sonhos desfeitos o que resiste,
Sou aquele que traz o vento mais forte,
Você é a rara beleza que ainda existe,
Você é mais forte do que a própria morte...
Sou a vida que não se acaba, se busca,
Sou compelida a buscar o que não quer vir,
Sou o vento, a palavra, a vida brusca,
Sou a lágrima que cai ao você sorrir...
Sou o seu sonho desfeito mais uma vez,
Sou a sua respiração, sou seu simples ar,
A vida que ao nascer sozinha se desfez,
Sou o que termina e o que vai continuar...
Sei que se um dia eu tiver que virar o pó,
Que o vento não o ventile sobre jornais,
Você foi uma pessoa que me desfez o nó,
Sou o que sou para você e serei sempre mais...
Poesia do poetizar
A linha espera um tracejado
De minha mão trêmula,
Sedenta,
Inquieta...
Abunda palavras indeléveis,
Desenrola carretéis
Em galhos à luz das estrelas...
A poesia que nasce
Está nos olhos de quem lê
E na alma de quem escreve...
Ah!
Poesia que nasce todos os dias,
Não se esqueça dos pobres mortais
A acompanhar a lenta agonia
E a saída sem razão de emoções!
Poesia amiga,
Cante sua forma mais bela,
Tatue-se em minha pele,
Faça-me tornar apenas sua,
Mas faça com que a marca seja eterna
E não saia de seu coração...
Poesia...
Seja a mais bela forma
De recomeçar uma vida perdida!
A vida espera o recomeço
Enquanto alguns esperam o fim dela,
Eu espero trazer o sorriso
Do momento brusco e esquecido,
Do sentimento enlutado
E da depressão enlouquecida...
Poesia,
Cante a escrita do poeta,
Seu amigo encantado,
Coração ensandecido
De amor e lágrimas...
Hoje é o seu dia
De todos os dias!
Dê-me o lápis, a caneta,
Deslize seus versos à beira do luar...
Poema encantado,
Hoje vim poetizar!

Tatiana Monteiro


terça-feira, 29 de março de 2011

SENTIMENTOS...


Nunca diga "te amo" se não te interessa. Nunca fale sobre sentimentos se estes não existem. Nunca toque numa vida se não pretende romper um coração. Nunca olhe nos olhos de alguém se não quiser vê-lo se derramar em lágrimas por causa de ti. A coisa mais cruel que alguém pode fazer é permitir que alguém se apaixone por alguem quando esse alguem não pretende fazer o mesmo...





O verdadeiro amigo. Ele pode nem estar ao meu lado agora. Mas certamente, estará sempre comigo

O verdadeiro amigo. Ele pode nem estar ao meu lado agora. Mas certamente, estará sempre comigo

O verdadeiro amigo. Ele pode nem estar ao meu lado agora. Mas certamente, estará sempre comigo


Jamais chores pela pessoa que não te merece.

Antes de dar a segunda oportunidade,

pense nas lágrimas que você derramou no passado,

não se entregue facilmente.

Jamais chores pela pessoa que não te merece,

pois essa pessoa pode estar bebendo as sua lágrimas numa taça de orgulho e desprezo.